05/07/07

Pula raia arriba !

Desta veç vamos eiqui falar dun de los pobos mas bonitos dal praino. An ele mesmo nun ten assi grande cousas d'anterssante... mas an vuôlta, ah ! An vuôlta yê differente ! Al qu'hai ? Al Douro, al douro mius amigos !

Si ya 'l sabeis, vamos ha falar de Paradela ! Anton, pega la chaça y pa llantre ! Vamos alla !

De Cicuiro anté Costantin :

Al salir de Cicuiro tuve que parar para admirar las frolicas de la borda de la strada, alla stavan eillas al rechin dal sol.
Al chegar an Costantin stava un burro que me dou los buônes dies... Açpuis fui-me an casa de tie Albertina ha cumprar ua bolicas d'anis.

Eiqui stan alguas froles de Costantin...




Y eiqui iba you pula stradica arriba an direçon a Paradela...


De Costantin anté Paradela (passando pu'riba de Infainç) :

Ah camino de l'anfinito pur d'onde yê qu'eiras ? Iras anté Aliste... Se vas alla anton trai-me ua Alistana...ha ver...




La chegada a Paradela :


Llougo ancuntrei un amigo miu...

...y açpuis inda me fiç quatros amigos mas, éra bien simpaticos, pus si eilles inda me doren chougarços ha purvar, mas you cum alla sei fazer dixe : "Que Dius vos al pague mas acabei agora de quemer ne la vuôssa casa dal pobo... assi que..."

Y you cum andava a la purcura dal mirandouro... la chibica alla me dixo que tenie you que choubir un camino, passar al pie d'un castañeiro que ya éra dal tiempo de los Afonsicos, i qu'al ver ua cruç pues que éra eillie...anton fui...

A partir deiqui anton yê que fui...Mirai !






Y açpuis... Pues mira tu que me dou la gana d'ir anté Moveiros nal quemercio de Mar !


Ai... las froles dessa tierra son tan guapas...

Alistanas claro... Buôlbie an Cicuiro cuntento de la bida !

8 comentários:

Dr dre disse...

ah balentaço, que screbir un blogue assi nun ye facil!!!
quando stubires an samartino perguntas pur andré de orlando!!!
a buer un copo a la salude dels mirandeses e dels pauliteiro!!!
NIN MAS UA FIESTA SIN GAITAS!!!

Ti�gui (Samartineiro tamien !) disse...

Ho ! Mas anton tu sos de Samartino... You tamien... ua metade solo, mas ua metade ! Sou al primo de Arcelino !

Anónimo disse...

Ls de cicuiro tenan ua maneira squesita de falar..

Tiêgui disse...

An Cicuiro ya quaise que nun se fala Mirandês, solo los mas viellos...
Se me dezieres donde yê que tu sos serie mas façel pra mie de cumparar cul tou Mirandês...

P.S : Pra mie "squesita" yê mas ua palavra Purtuêsa que outra cousa...

Alcides disse...

Al termo de la raia (adaptaçón de “os campos da minha aldeia”)

Era tiêmpo de todo
De l’aire, da’l friu
De la chuba e de la niêbe.
No aire uãs rebofiadas de gelo.
Al sol mui baixico.
Al sûlo duro e cheno de fôlhas.
Sin páxaros
Niên sonidos de gralhadas.
Era nuite escura.
Árboles sin niales,
Galhas fustigadas pu l aire que ben de Spanha.
Cume estaba triste al termo!
Nunca más chegaba al tiêmpo de las froles …
Mas un diê al naçer dal sol
Quedou-se todico sarapintado
De berdes e amariêlhos,
Clor de rosa e lilázes.
Yerbicas a florir e silbas cun cheiro a miêl.
Um cuco cantaba.
Uã cgulhada bolaba alto al redor
Por anriba duã senara.
Agora si que al termo era guapo!
Las senaras a faer óndias a escapar-se por la siêrra arriba.
Pareciên cordeiricos a correr e a saltar por las barrancas dal camino.
Al longe, na outra ourriêta,
Un ganado: Dlin dlan dlin dlan
Chocalhos e campaninas a assinalar cada dentada de yêrba.
Puntos brancos e negros nos adiles chenos de froles e de corriôla clor de sprança.
Uã papoula eiqui e outra acolhá,
Las magarças deziên que era primabera.
Sin friu e sin bento
Cun sol e buôn tiêmpo
La bida bibiê-se nos termos al pie de la raia.
Perdidos, se calha, para alhá de las montanhas,
Mas biên biba nas ourriêtas de la bida que la bida fui dando.
Cun inbiêrnos e branos
Nuites caliêntes,
Serones,
Amores, paixones.
Desencontros bibidos,
Agarimos santidos antre dedos amigos.
Paç e repouso na xerga a los poucos criada.
Lhuitando e creçendo a cada hora passado.
Rindo e mirando
La belheza que a cada minuto mos dán an troca de nada.

Nuno Cruz disse...

Fotos porreiras! Vou participar no Burro e o Gaiteiro deste ano mas tenho pena que não passe por paradela ou Ifanez ou Constantim. O mirandês da raia está um pouco esquecido em relação ao 'padrão' e ao sendinês..

Gostava bastante de visitar a raia e principalmente Paradela pois sei que ai o mirandês é bastante peculiar! Mas infelizmente não conheço ninguem de Miranda do Douro e sempre viajem sozinho (nem a minha 'Maria' me acompanha :-)) e nunca visitei o norte do concelho.
É assim tão diferente o mirandês raiano?
Pelo menos tenho a sorte de viver no Porto e estar sempre perto de alguma informaçao sobre a lingua mirandêsa!!

Tiêgui disse...

Obrigado por visitar este blog, apesar de não ser escrito usando a convenção establecida !

O mirandês da raia não é assim tão diferente, mais sim tem algumas diferenças :

-A confusão entre "r" e "l" : terefone, ter'bizon, cumpreto,...

-O uso de "los" em vez de "ls", e por este facto os outros mirandêses dizem que falamos "atrabessado" que a que entender misturado com Espanhol. De facto não é verdade, simplesmente conservamos o "los" latino, o que se transformou em "ls" nas outras variedades por causa do fenomeno bem conhecido em linguistica de syncope do "o".

-O uso de "al" em vez de "l", tambem syncope do "a" nas outras falas.

-A syncope do "o" no plurial masculino na aldeia de Samartino/São Martinho de Angueira (caracteristica unica no Praino) : manos>manes, anhos>anhes, gatos>gates, perros>perres, nos somos> nos somes.

-Influencia do Português Archaico mais fraca : "suelo" em vez de "tchano" para a palavra chão.

A fala de Samartino apesar de ser localisada na raia, não tem a caracteristica da raia : o uso do los.

Em baixo de Miranda, o Mirandês ficou influenciado pelo Português archaico, e agora pelo Português moderno como acontece em todo o Praino.
Uma das influencias é desaparisão do "l" intervocalico nas palavras seguintes :
ne la>na
ne los>nos

Para concluir posso dizer que o Mirandês da raia não foi influenciado pelo Castelhano como a gente diz apesar de ter muitas similhanças.

Os organisadores do burro i l gueiteiro são d'ali de baixo por isso eles mostrem as terras deles, pode ser que un dia seja este muito bom emcontro deslocado algo mais acima !

Anónimo disse...

Isto e pa falar em mirandes ne?
Pus bien quiero dezir que paradela city es un pueblo mui bonito onde nasciu miu pai e donde ye la familia de mi mai. La gente pôde dibertir-se e ber el rio douro, la barragem e sus gentes. Ide allá que ireis gostar.
Miranda del Douro yé una tierra que a mi me gusta muito